Indicadores bibliométricos de colaboração científica institucional na Física de Altas Energias brasileira (1983-2013)

Gonzalo Ruben Alvarez, Samile Andrea de Souza Vanz

Resumen


Este trabalho apresenta uma análise bibliométrica fundamentada no indicador de colaboração institucional dos artigos científicos brasileiros de Física de Altas Energias (FAE) indexados pelo Science Citation Index (SCI) da Web of Science (WoS) no período de 1983-2013. Fizeram parte do estudo todas as publicações em periódicos abrangidos na categoria de assunto Physics, Particles & Fields. Os dados foram organizados e analisados com auxílio dos softwares Bibexcel, UCINET e Excel 2007. Dentre os 5.886 artigos, 4.018 foram publicados em colaboração interinstitucional, sendo 1.130 em coautoria entre instituições brasileiras e 2.888 em coautoria com instituições estrangeiras. Apenas 1.868 artigos (31,74%) foram escritos por uma única instituição, representando, possivelmente, o grupo que realiza pesquisas teóricas na área. Foram identificadas 1.175 instituições, dentre elas 1.021 são instituições estrangeiras (86,89%) e 154 são instituições brasileiras (13,11%). Conclui que há um volume pequeno de instituições brasileiras que atuam na pesquisa na área de FAE e existe forte internacionalização da pesquisa brasileira na área. A análise de redes revela a existencia de quatro clusters conforme regiões geográficas do Brasil, demonstrando que a proximidade geográfica entre dois ou mais parceiros serve como estímulo para a colaboração.


Palabras clave


Bibliometria. Física de Altas Energias brasileira. Colaboração científica

Texto completo:

PDF

Referencias


Adams, J., & King, C. (2009). Global Research Report: Brazil: Research and collaboration in the new geography of science. Leeds: Thomson Reuters.

Alvarez, G. R., & Vanz, S. A. de S. (2016). O desenvolvimento da Física de Altas Energias no Brasil: produção científica, programas de pós-graduação e grupos de pesquisa. Revista Brasileira de Pós-Graduação, 13(31), 433-460.

Beaver, D. de B. (2001). Reflections on scientific collaboration (and its study): past, present,

and future. Scientometrics, 52(3), 365-377.

Beaver, D. de B., & Rosen, R. (1978). Studies in scientific collaboration: Part I the

professional origins of scientific co-authorship. Scientometrics, 1(1), 65-84.

Beaver, D. de B., & Rosen, R. (1979). Studies in scientific collaboration: Part III

Professionalization and the natural history of modern scientific co-authorship.

Scientometrics, 1(3), 231-245.

Bonilla-Calero, A. I. B. (2009). La colaboración e la visibilidad en las disciplinas de Física

en Science Citation Index y arXiv (2000-2005) (Tesis doctoral). Universidad Carlos III

de Madrid, Getafe, España.

Bourdieu, P. (2004). Os usos sociais da ciência: Por uma sociologia clínica do campo

científico. São Paulo: Editora UNESP.

Bozeman, B., & Lee, S. (2003, February). The impact of research collaboration on scientific

productivity. In Annual Meeting of the American Association for the Advancement of

Science. Symposium conducted at the meeting of American Association for the

Advancement of Science, Denver.

Braun, T., Gómez, I., Méndez, A., & Schubert, A. (1992). International co-authorship patterns

in physics and its subfields, 1981–1985. Scientometrics, 24(2), 181-200.

Chaves, A., & Shellard, R. C. (2005). Física para o Brasil: Pensando o futuro. São Paulo:

Sociedade Brasileira de Física.

Chaves, A., Fazzio, A., Melo, C. P., Almeida, R. M., Faria, R. M., & Shellard, R. C. (2007).

Física para um Brasil Competitivo. Brasília: Sociedade Brasileira de Física. Disponível

em http://www.sbfisica.org.br/v1/arquivos_diversos/publicacoes/FisicaCapes.pdf

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (2013). Documento de área

Brasília: Autor.

Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (2011). Análise da produção

científica a partir de publicações em periódicos especializados. In Indicadores de

Ciência, Tecnologia e Inovação em São Paulo 2010 (Cap. 4). São Paulo: Autor.

Glänzel, W., & Schubert, A. (2004). Analyzing scientific networks through coauthorship. In

H. F. Moed, W. Glänzel, & U. Schmoch (Eds.), Handbook of quantitative science and

technology research (pp. 257-276). Dordrecht: Kluwer Academic.

Katz, J. S., & Martin, B. R. (1997). What is research collaboration? Research Policy, 26(1), 1-

Kretschmer, H., & Rousseau, R. (2001). Author inflation leads to a breakdown of Lotka's law. Journal of the American Society for Information Science and Technology, 52(8), 610-

Luukkonen, T., Tijssen, R. J. W., Persson, O., & Sivertsen, G. (1993). The measurement of

international scientific collaboration. Scientometrics, 28(1), 15-36.

Maltrás Barba, B. (2003). Los indicadores bibliométricos: Fundamentos y aplicación al

análisis de la ciencia. Madrid: Trea.

Marteleto, R. M. (2001). Análise de redes sociais – aplicação nos estudos de transferência da

informação. Ciência da Informação, 30(1), 71-81.

Meadows, A. J. (1999). A comunicação científica. Brasília: Briquet de Lemos.

Mele, S., Dallman, D., Vigen, J., & Yeomans J. (2006). Quantitative analysis of the

publishing landscape in High-Energy Physics. Journal of High Energy Physics, 12, 1-23.

Nagpaul, P., & Sharma, L. (1994). Research output and transnational cooperation in physics

subfields: a multidimensional analysis. Scientometrics, 31(1), 97-122.

Otte, E., & Rousseau, R. (2002). Social network analysis: a powerful strategy, also for the

information sciences. Journal of Information Science, 28(6), 441-453.

Solla Price, D. J. de. (1976). O desenvolvimento da ciência. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e

Científicos.

Sonnenwald, D. H. (2007). Scientific collaboration. Annual Review of Information Science

and Technology, 41(1), 643-681.

Subramanyam, K. (1983). Bibliometric studies of research collaboration: a review. Journal of

Information Science, 6, 33-38.

Vanz, S. A. de S. (2009). As redes de colaboração científica no Brasil: (2004-2006) (Tese de

doutorado). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Brasil. Disponível

em




DOI: http://dx.doi.org/10.21500/22563202.3275