Unidad cordial de la persona humana y la comunidad: el símbolo del corazón en los escritos y la recepción artística de Agostinho de Hipona

Autores/as

  • Davi Chan Ribero lin FACULDADE JESUÍTA / KU LEUVEN
  • Anthony Dupont Ku Leuven

DOI:

https://doi.org/10.21500/01201468.4780

Palabras clave:

Agustín de Hipona, corazón, terapia, interioridad, espiritualidad

Resumen

Este artigo irá examinar a concepção de Agostinho de Hipona (354-430) sobre o coração humano, visto que, ocupando o lugar de um cardiologista, Agostinho prescreve um tratamento terapêutico intensivo. Serão considerados três movimentos essenciais do cor agostiniano. Primeiramente, Agostinho propõe uma busca pelo coração, a câmara secreta, o centro vital interior que necessita ser reencontrado. Uma vez localizado o coração, somos levados a um segundo movimento: o retorno ao coração. Depois de diagnosticar sua própria doença cardíaca, um coração vazio, Agostinho propõe uma terapia, a volta ao coração no encontro com um terapeuta divino, o Cristo; e um remédio potente, o esmagamento do coração. Terceiro, ascende-se com seu coração: o coração se eleva ao alto, sursum cor. Um coração saudável é um coração ascendente, com o amor como seu marca-passo. Retornar ao coração significa, portanto, voltar ao núcleo de uma autêntica existência, no chamado para não se fechar em si mesmo, para ascender em uma abertura de amor a uma alteridade, Deus e ao próximo. Como epílogo, iremos explorar de forma concisa dois contextos relacionados, nos quais Agostinho utiliza a imagem do coração: vida comunitária e espiritualidade.

Citas

Agostinho, Santo. A cidade de Deus: contra os pagãos. 4.ed. Trad. Oscar Paes Leme. Petrópolis: Vozes, 2001.

Agostinho, Santo. A regra de Santo Agostinho. Petrópolis: Vozes, 2009.

Agostinho, Santo. Comentário ao Evangelho e ao Apocalipse de São João. Trad. José Augusto Rodrigues Amado. São Paulo: Cultor de Livros, 2017.

Agostinho, Santo. Comentário aos salmos. Sao Paulo: Paulus, 1998.

Agostinho, Santo. Comentário da primeira epístola de São João. Trad. Nair de Assis Oliveira. São Paulo: Paulinas, 1989.

Agostinho, Santo. Confissões. Trad. Maria Luíza Jardim Amarante. São Paulo: Paulus, 1984.

Agostinho, Santo. Sobre o sermão do Senhor na montanha. Trad. Carlos Ancêde Nougué. Campo Grande: Edições Santo Tomás, 2013.

Agostinho, Santo. Solilóquios e a vida feliz. Trad. Nair de Assis Oliveira. São Paulo: Paulus, 1998.

Bochet, Isabelle. «Coeur». Em Saint Augustin. La Méditerranée et l'Europe. IVe-XXIe siècle, editado por A.D. Fitzgerald/M.-A. Vannier, 272-283. Paris: Cerf, 2005.

Demura, Kazuhiko. «Sursum cor in the Sermons of Augustin». Em Prayer and Spirituality in the Early Church, vol. 3: Liturgy and Life, editado por B. Neil, G.D. Dunn, L. Cross, 75-81. Strathfield: St Pauls Publications, 2003.

Dupont, Anthony y Walraet, Pierre-Paul. «Augustine on the Heart as the Centre of Human Happiness». Studies in Spirituality Vol. 25 (2015): 45-77.

Lescrauwaet, Jos. «Redite ad cor – “Keer terug tot uw hart”. 1650 jaar na de geboorte van Augustinus’». Communio. Internationaal Katholiek Tijdschrift 5-6, 19 (2004): 373-387.

Madec, Goulven. «Cor», Augustinus-Lexikon Vol 2 (1996-2002): 1-6.

Maxsein, Anton. Philosophia cordis. Das Wesen der Personalität bei Augustinus. Salzburg: Müller, 1966.

Neusch, Marcel. «Augustin maître spirituel. Un chemin de vie spirituelle en sept étapes». Itinéraires Augustiniennes 38 (2007): 13-24.

Pellegrino, Michele. «Sursum cor nelle opere di sant’Agostino». Revue des études agustiniennes et patristiques Vol. 50 (2004): 147-174.

Descargas

Publicado

2021-01-15

Cómo citar

Ribero lin, Davi Chan, y Anthony Dupont. 2021. «Unidad Cordial De La Persona Humana Y La Comunidad: El símbolo Del corazón En Los Escritos Y La recepción artística De Agostinho De Hipona». Franciscanum 63 (175):1-22. https://doi.org/10.21500/01201468.4780.